O Que E Conjuntivite

Conjuntivite também é comum no inverno; conheça os diferentes tipos

Sensação de areia nos olhos, queimação e lacrimejamento. Esses são alguns dos sintomas da conjuntivite, que é a inflamação na membrana que reveste a parte frontal dos olhos e o interior das pálpebras.

A doença, que incomoda bastante, é comum no verão por causa do calor, suor e tempo seco. Mas, engana-se quem pensa que ela não aparece nas outras épocas do ano.

No inverno, o tempo também fica seco e o aumento do contato com ácaros encontrados nas roupas de frio, que ficam muito tempo guardadas, favorece o surgimento da conjuntivite, problema que também pode ser causado pela aglomeração de pessoas em ambientes fechados. Em todos os tipos de conjuntivite, o olho afetado fica avermelhado (Foto: Shutterstock)Os tipos mais comuns da conjuntivite são a viral, bacteriana, alérgica e tóxica. De acordo com Almir da Silva Ruiz, médico assistente do Serviço de Oftalmologia da Santa Casa de Santos, a conjuntivite viral pode durar de cinco a 21 dias. “Os sintomas geralmente incluem olho vermelho, lacrimejamento, sensação de areia e sensibilidade à luz”.

A bacteriana dura em torno de sete dias, mas pode ser reduzida com medicações. Os sintomas são semelhantes aos da conjuntivite viral, incluindo, ainda, secreção purulenta (pus).

Já o tipo alérgico, segundo o especialista, geralmente é crônico. A doença vem acompanhada de coceira e, nas crises, inchaço das pálpebras. Neste caso, a duração depende se o paciente ainda está em contato com o que causou a alergia, como, por exemplo, ácaros presentes na poeira de casa ou fungos. “Nas crises, o tratamento correto melhora os sintomas rapidamente em 24h a 48h, mas o tratamento estendido evita recaídas”, orienta Almir.

A conjuntivite tóxica é causada por contato com substâncias irritantes, como fumaça ou produtos de limpeza. A duração depende da intensidade do contato e do tratamento adequado.

“Podemos evitar a conjuntivite com medidas de higiene, como lavar as mãos com frequência, especialmente após frequentar lugares públicos, não levar as mãos aos olhos e separar objetos pessoais da pessoa que está contaminada”, diz o médico.

Tratamento

Segundo o especialista, o tratamento é específico para cada tipo de conjuntivite. Colírios lubrificantes higienizam e aliviam o incômodo. ”E pode-se usar compressas frias de soro fisiológico ou água filtrada. Vale lembrar que água boricada não é indicada, pois o paciente pode ter alergia e piorar o quadro de saúde”.

Almir ainda explica que, no caso das conjuntivites virais, é especialmente importante notar se a visão está embaçada, sinal da presença do adenovírus, geralmente contraído pelo contato com secreções, dedos ou algum objeto contaminado, como toalhas e instrumentos. Mas a infecção pode ser transmitida também pelo ar ou pela água.

“A conjuntivite por adenovírus pode causar o comprometimento da córnea e deixar sequelas se não for tratada adequadamente”. Colírios lubrificantes higienizam e aliviam o incômodo da conjuntivite (Foto: Shutterstock)O tratamento para o tipo bacteriano baseia-se na prescrição de colírio antibiótico. Na alérgica, são usados colírios antialérgicos e, às vezes, tratamento via oral. “É importante que o paciente pesquise os fatores da causa da alergia”.

Na conjuntivite tóxica é feita lavagem para eliminar o contato com o agente que atingiu os olhos. “O tratamento é por colírios que geralmente incluem antibiótico e anti-inflamatório. Por isso, no caso de irritação ocular, recomendamos sempre procurar um médico oftalmologista para diagnosticar e tratar adequadamente”.

Fonte: http://www.noticiahoje.com.br/NoticiasWeb.aspx?ID=36049145.127759.17777214#

Search