Lentes E Armacoes

Principais aspectos que devem ser observados na escolha de lentes e armações

Conforto visual depende de fatores como a escolha correta de lentes e armações
Escolher um óculos vai além da definição de uma armação. Por exercerem uma função essencial na correção além de garantir uma visão mais saudável, as lentes também devem ser avaliadas e selecionadas com atenção. O coordenador do projeto Educar da Associação do Comércio de Joias, Relógios e Óptica do Rio Grande do Sul (Ajorsul), Charles Sutter, afirma que o conforto visual depende de fatores como controles periódicos de sua condição visual; orientação técnica do vendedor e óptico na escolha da armação de acordo com a estética; e, a escolha das lentes e tratamentos adequados com a demanda visual.
Com relação às lentes, Sutter explica que há dois grandes grupos de materiais: resinas (orgânicas) e cristal (vidro).
– As lentes de resina são classificadas de acordo com a espessura; resistência a arranhões e quebras; e, à sua qualidade óptica. Entre elas, existem as lentes de policarbonato que além de leves, são resistentes a quebra, porém, têm a pior qualidade óptica entre todos materiais – considera o coordenador.
Já as lentes em Cristal têm sido menos utilizadas por serem mais pesadas e ao seu risco de quebra por impacto. Porém, as tecnologias de fabricação em resinas de alto índice, mais finas, têm apresentado ótimos resultados, com maior segurança e menor peso no resultado final.
– O que torna as lentes com aspecto de fundo de garrafa é a graduação e material escolhido. Quanto maior o grau, mais evidenciado este aspecto. Tanto as lentes esférias quanto asféricas podem diminuir este efeito, porém, a tecnologia de fabricação digital com lentes de alto índice reduz este efeito e tornam o uso mais confortável – aponta Sutter.
Já os tratamentos anti reflexo se diferem pela sua qualidade e resistência. Os métodos mais modernos possuem em sua composição camadas hidrorrepelente e liporrepelente. Ainda de acordo com o coordenador da Ajorsul, as camadas anti abrasivas não evitam riscos nas lentes. Elas apenas diminuem a probabilidade de arranhões superficiais provenientes da limpeza.
Sutter explica, também, sobre o tratamento para proteção de raios ultravioletas (UV).
– Em algumas lentes, a proteção já vem de fábrica, enquanto outras precisam ser colocadas. É importante que a óptica ofereça este tratamento, mas acima de tudo, que o cliente tenha o cuidado de certificar-se que suas lentes recebam este recurso, principalmente os solares – expõe o coordenador da Ajorsul.
Outra particularidade das lentes, o tratamento antiestático traz a possibilidade de minimizar o efeito das partículas que se juntam às lentes através da energia estática.
Quanto às armações, Sutter explica que elas podem ser termoplásticas (inclusive acetato, bastante utilizadas hoje em dia) e as de metal.
– As termoplásticas são mais resistentes. É necessária a adaptação e ajuste pelo vendedor ou óptico responsável para que seja utilizado o meio adequado para o ajuste. Nunca devem ser ajustadas pelo cliente devido o risco de quebra. Além disso, com o uso e em dias de muito calor, alguns materiais podem deformar com mais facilidade, por isso deve-se evitar deixar em lugares como no interior do carro em dias muito quentes – explica.
A maioria das armações são feitas com ligas de diversos materiais, como níquel, alumínio e monel. As de titânio são minoras.
Redação: Francine Malessa
Coordenação: Marcelo Matusiak

Fonte: PlayPress

Search